ERAS TU


Diante da minha janela , sinto-me inquieta, alvoraçada e com vontade de ir ao encontro de sonhos perdidos ao longo da vida, e viver nem que seja por um momento nesse meu imaginário uma grande aventura.




Fecho os olhos em busca dalgum momento que quero mudar e ai estás tu , naquele café que eu frequentei algumas vezes com o meu namorado e a família, que por sua vez o padrasto era meu tio.




Estavas lá rodeado de rapazes, mais ou menos da mesma idade , os cabelos escuros cobriam-te parte do rosto por se usarem compridos, juntamente com uma barba bem tratada, deixando apenas a descoberto dois olhos lindos que ainda hoje sinto consigo experimentar o desconforto do seu olhar sem dar pela minha presença.




Lembro do teu sorriso triste enquanto os teus amigos riam as gargalhadas, eu ouvia a tua voz através das conversas impercetíveis , porque os meus olhos estavam focados em ti.




De repente ouvi reclamar a minha ausência, pois estavam a falar comigo e eu não estava a ouvir , porque estava a tomar conta doutras conversas. Desculpei-me que estava distraída somente . Vi-te caminhar em direção a porta e acompanhei te, pensado que te encontraria outra vez .




Encontrei tinham passado muitos anos na Igreja que ambos frequentava-mos, quando me cruzei contigo no espaço onde se faziam as refeições , mas eu não sabia. Só senti que teus olhos me incomodaram, fizeram-me sentir uma sensação estranha e ao mesmo tempo tristeza que eu não entendi




Mais tarde sorri e quase que soltei um grito quando vi aquela fotografia.




Vila Franca de Xira o o celebre Café Chave D'oro

HOJE DÓI MAIS





Percorre-me o corpo a dor que nalguns dias se torna insuportável, mas que na aparência apenas me faz semicerrar os olhos diante do espelho, como se nada se passasse.

Respiro fundo e continuo-me maquilhando, vou para o trabalho e não posso me atrasar, nem dar credito a esta doença que se agarrou a mim e a quem chamo de parasita.

Fibromialgia, o que é? Ninguém sabe, dizem que é maluqueira, que é da cabeça, enfim é apelidada de nomes que desmoralizam e descredibilizam quem sofre só porque não sabem de onde vem a existência destas dores.

Mas dói, dói tanto que muitas vezes se desespera.

A mim disseram-me que estas dores são consequência da grande depressão na qual andei embrulhada durante anos e que deixou este rasto.

Que não tem cura, que é para ir tomando alguns analgésicos para ajudar a suportar a dor.

Mas ainda o que mais dói é pedir ajuda médica, porque já não suportas e dizerem-te que fibromialgia não existe que é tudo da cabeça.
 

2 DE OUTUBRO



Hoje dia 2 de outubro , ainda nos rescaldo das eleições, autárquicas onde participei no apoio ao candidato em que acredito , pelo seu trabalho honesto , pela sua luta a favor de uma Elvas mais moderna, mais competitiva e progressista.



Uma Elvas que desperte o interesse dos investidores , que produza riqueza e por sua vez emprego para que se acabe de vez com os subsidio dependentes, essa mama que alimenta muita gente que passa o dia nos cafés a tomar pequenos almoços enquanto outros se esfalfam a trabalhar para os descontos.



Uma Elvas conhecida pela sua beleza , pela sua história ,pela sua gastronomia e pelo seu povo afável e doce que sabe receber tão bem.



Toda a gente sabe que Elvas é a cidade da minha paixão e por onde quer que eu passe enalteço-a com o coração cheio de orgulho e vaidade , porque é a minha cidade.



Estou feliz e quis deixar uma nota de agrado pela campanha linda que o Dr. Nuno Mocinha fez com todos os que o acompanharam, uma campanha de respeito pelos adversários, sem mentiras.



Parabéns Presidente Dr. Mocinha

Parabéns PS

Estupefacta


As vezes distraio-me com o tempo onde vivo freneticamente a vida sem paragens que me deem tempo e debruçar-me nesta janela onde tantas vezes ri, desabafei e chorei. Ao rever os caminhos que percorri e perdi e nos atalhos onde me achei .



Hoje parei diante desta janela que há muito tempo estava fechada e apeteceu-me desenhar palavras nessas vidraças empoeiradas pelo silencio das teclas mudas do meu computador .



Saber que conheço pessoas , ou que as julgo conhecer e de repente ler comentários, nas redes sociais, faz-me confusão , como é que num momento, são uma coisa e quase no mesmo instante são outra coisa? Mudam de opinião , mais rápido do que quem muda de camisa,.

Falta de carácter? Ou simplesmente agradar por agradar ?



Fico estupefacta, com pessoas assim , onde o sim e o não é (nim )e o preto e o branco é simplesmente ( cinzento ) para agradar a gregos e a troianos.



Mas depois seja como for sabem usar muito bem de meios para atingir os seus fins





Lamento que a maioria das gentes se comporte assim.



E fico-me por aqui debruçada na minha janela

Sol no inverno



Um dia de inverno ensolarado mas frio , onde a luz intensa me faz semicerrar os olhos na tentativa de olhar mais além de mim e de ti, olhar para alem de nós envolvidos por estes afetos inimagináveis de existir entre dois jovens sexagenários .

São sentimentos que nos aceleram o coração num ritmo delicioso e belo quando nossos pensamentos se atrevem a voar para lá das distancias e como dois jovens sonhamos o dia de amanhã.

Fechei os olhos nesse instante para estar contigo a sós, no meu pensamento, para ouvir os som das tuas palavras encostada ao teu peito e pedir a Deus que me deixe viver para amar a vida que te pertence por que sem ela já não saberei viver.


O sol brilha mais, neste momento

Janela



Quanto tempo ausente desta janela. Que saudade ao ver-me aqui diante dela, deste parapeito, lugar imaginário, onde espreito o mundo e me perco em lugares que só existem nos meus sonhos.

O Sol delirante, entrou no meu recanto, veio doido de saudade pelo tempo que estive ausente e em jeito de caricias aqueceu-me até me deixar relaxada, para conversar.

Não foi por esquecimento que me ausentei, nem por falta de tempo para sonhar, mas porque o meu coração se apaixonou e eu tive que dar-lhe todo o tempo que ele precisava, pois foi complicada a luta entre mim e eu.

Foi difícil aceitar que aos 60 anos poderia amar e ser amada , que poderia ser capaz de fazer e ser tanta coisa que julguei ter perdido , que a vida voltaria a ter cores iguais às da primavera e que é bom sonhar com o amanhã.